Como aplicar o Futebol Escolar?






Nos últimos anos a Educação Física brasileira procurou investir num desenvolvimento cada vez mais voltado para a prática educacional. Mesmo assim, ainda persiste o modelo tradicional, que ligado a diferentes questões, dentre elas a aptidão física, utiliza o esporte, na maioria das vezes, como meio de segregação daqueles que são ditos como menos habilidosos ou incapazes dos aptos ou melhores.

O futebol ensinado na escola regular ou na escola específica, deve contribuir para que a pessoa que o aprenda usufrua dele na sua vida cotidiana. No ambiente escolar, a pedagogia do esporte se volta não para a formação de atletas de performance, mas para que o futebol seja vivenciado e trabalhado de forma que todos possam ter acesso às habilidades e gestos motores de acordo com o seu desenvolvimento biológico, psicológico e social dentre outros conhecimentos, por exemplo, os conteúdos atitudinais e conceituais.

O futebol assim como o futsal na escola deve ter uma formação básica, desenvolvendo as habilidades físico-mentais: consciência corporal, coordenação, flexibilidade, ritmo, agilidade, equilíbrio, percepção espaço-temporal em uma atmosfera de descontração, dinamismo e ludicidade.

O ensinar no futebol, não é uma simples transmissão de conhecimento ou imitações de gestos, onde o aluno seja apenas um receptor passivo, acrítico, inocente e indefeso de seus fundamentos técnicos. Ensinar futebol é uma prática pedagógica, desenvolvida dentro de um processo de ensino-aprendizagem, que leve em conta o sujeito aluno, criando possibilidades para construir esse conhecimento, inserindo e fazendo interagir o que o aluno já sabe, com o novo, ampliando-se assim, sua bagagem cultural e motora.

Os professores precisam ter atenção no o ensino do Futebol apenas no aspecto motor, valorizando-se apenas o conhecimento da técnica-tática do esporte, facilitando a exclusão dos menos habilidosos, das meninas e, dessa maneira, o abandono de oportunidades de vivenciar diferentes experiências motoras, afetivas, cognitivas e sociais, não se permitindo participar da cultura corporal do movimento.

Além do pouco conhecimento sobre tudo o que cerca o Futebol e como este influencia na vida das pessoas, em especial daqueles que sonham em ser jogadores. Por fim, promover a oportunidade dos educandos compreenderem e tornarem-se capazes de criticar esses aspectos e recriá-los de acordo com suas expectativas e condições, aproximando mais o esporte do seu cotidiano.

O futebol é um dos esportes mais adorados pelos alunos e muito praticado nas escolas do país. Portanto seu ensino não pode estar preso em apenas reprodução de movimentos e nem como medição de desempenho e resultados ou ainda como forma de prática espontânea. As aulas de Educação Física podem ser mais que o treinamento das habilidades necessárias à prática desportiva, pois foi possível favorecer aos educandos o caminho da busca pelo conhecimento cultural, permitindo-lhes uma formação mais completa e rica através da ludicidade e diversão, colaborando para a formação de indivíduos críticos e emancipados.

Para o professor que trabalha na escola, é fundamental o uso de atividades diversificadas para o Futebol. Otimize seu tempo e conheça o TOP 100 Futebol, que tem 100 atividades para aulas diversas dentro do esporte. Clique aqui e saiba mais!

Eu sou a Dani, a atendente do Quero Conteúdo. Se você quiser ter conteúdo sobre esse tema para estudo, entre em contato pelo Whatsapp ou email do site . Conheça também nossa página de materiais educativos gratuitos .

Comente:

Nenhum comentário