Como ensinar a respiração na Natação em crianças?





A respiração está dentro das habilidades motoras aquáticas que o indivíduo deverá dominar para que tenha um bom desempenho durante o exercício de natação, sendo essa uma das grandes dificuldades nos primeiros contatos com o meio aquático.

Ao entrar em contato com a água, os mecanismos respiratórios sofrerão algumas alterações pois sua face se encontrará temporariamente imersa, gerando uma limitação da função ventilatória e consequentemente, um aumento do esforço respiratório.


Estando o indivíduo sentado imerso até o pescoço, a capacidade vital diminui 8 a 10%, isso ocorre devido a um aumento do volume sanguíneo na região torácica. Diante disso o ato respiratório deixa de ser reflexo e passivo e tende a se tornar voluntário e ativo.

Uma sequência metodológica para ganho de habilidade motora aquática que poderá ser usado durante as aulas para potencializar o aprendizado do aluno. A metodologia foi retirada do artigo: "A Problemática da Respiração no Ensino da natação", escrita por Barbosa & Queiróz, embasada em estudos de Carvalho.

Molhar a face: O aluno deverá desde cedo não sentir reticências em manter a face molhada. Para tal deve-se solicitar que ele molhe a rosto.

Imergir e abrir os olhos: O passo seguinte será promover a imersão da cabeça, mantendo os olhos abertos dentro de água, impedindo os reflexos oculofaciais que levam geralmente ao fechar dos olhos. Essas imersões serão com a cabeça parcial ou totalmente mergulhada, podendo, por exemplo, empurrar com a cabeça uma bola que se encontra a flutuar na superfície ou então, ir buscar objetos ao fundo da piscina.

Pode-se dividir esta etapa em duas fases: numa primeira fase, realizar-se-ão imersões de curta duração (1-5 segundos). Numa fase subsequente, promove-se a execução de imersões acrescidas. Isto é, propõe-se um prolongamento do tempo da imersão, consequência de um maior à vontade do aluno na execução das tarefas.

Expiração na água: O aluno deverá compreender que para expirar ele terá de efetuar expirações ativas, caso contrário o ar não consegue vencer a pressão exercida pela água. Pedir ao aluno que expire para a água ou que empurre uma bola de tênis de mesa com o sopro, são exemplos de tarefas que poderão ser apresentadas com este objetivo. A duração da expiração deverá ser gradualmente aumentada até ser possível a expiração completa.

Expiração ritmada: A ideia subjacente consiste na criação de um ritmo respiratório, onde a fase inspiratória será realizada em intervalos temporais constantes. Por exemplo, inspirar a um tempo e expirar a quatro tempos será uma sugestão para se promover a realização de expirações ritmadas.

Expiração ritmada associada ao batimento alterado dos membros inferiores:  Por forma a associar e sincronizar a função respiratória com a função propulsiva, deve-se apresentar tarefas que solicitem a sincronização entre o ato inspiratório e a ação dos membros inferiores. Por exemplo, pedir ao aluno para inspirar em cada dois, quatro ou seis batimentos dos membros inferiores. Este último padrão de sincronização será dos mais oportunos, dado que é análogo ao adaptado nas técnicas alternadas.

Ritmo respiratório: também é necessário sincronização da respiração com membros superiores. Isto porque é a ação dos membros superiores que, em qualquer técnica de nado formal, irá determinar o momento de inspiração, ou seja, o ritmo respiratório.

Controle respiratório: O controle respiratório pode ser efetuado frontalmente, através da extensão da cabeça ou lateralmente, através de uma rotação lateral da mesma. As inspirações laterais são do tipo unilateral, ou seja, através da rotação da cabeça sempre para um dos lados. Uma outra alternativa é a inspiração bilateral, isto é, a rotação alternada para cada lado, em ciclos inspiratórios consecutivos. Este tipo de inspiração lateral terá particular interesse na medida em que poderá ser uma transferência motora positiva para a técnica inspiratória realizada na técnica de Crawl.


Como respirar corretamente?

Na natação, você pode usar tanto a boca quanto o nariz para executar a respiração. Normalmente se torna mais fácil respirar pela boca, inspirando pela boca e expirando pela boca e pelo nariz, pois as resistências aéreas são menores.

O importante é você respirar como for mais cômodo, podendo usar a boca e o nariz juntos.Você irá puxar o ar quando a boca estiver fora da água e expulsá-lo quando ela estiver dentro da mesma.

A respiração bem controlada é uma vantagem tanto durante o exercício, quanto durante a fase de preparação para aquecimento e durante a recuperação e alongamento depois da atividade.

Para finalizar, indicarei um Curso Natação para Bebês - Estimulação Motora Aquática onde será abordado tudo sobre Natação para Bebês. Material didático contendo 01 E-book com mais de 70 páginas. Template de Avaliação. Músicas Cantadas (Letra, Ritmo e Aplicação). Certificação de 30 horas. Clique aqui e saiba mais!


Sou a Dani, a atendente do Quero Conteúdo e posso te indicar cursos e ebooks sobre esse assunto.. Entre em contato conosco através do Email, do Whatsapp ou do Messenger

Comente:

Nenhum comentário